Search
terça-feira 18 fevereiro 2020
  • :
  • :

Símbolos da JMJ 2022 poderão percorrer dioceses de países lusófonos

cq5dam-thumbnail-cropped-750-422-4

“A Cruz e o Ícone Mariano que são os símbolos das Jornadas irão percorrer as dioceses de Portugal e, porventura, algumas dioceses de países lusófonos e também da vizinha Espanha”.

É a expectativa do padre Manuel Barbosa, secretário e porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa, sublinhada ao portal da Santa Sé à margem da última reunião do Conselho Permanente que teve lugar no passado dia 14 de janeiro em Fátima.

A Jornada Mundial da Juventude 2022 é um dos temas em foco no encontro dos bispos dos países lusófonos que decorre até 21 deste mês na Guiné-Bissau, centrado no tema ‘Diálogo inter-religioso na construção da paz e no desenvolvimento dos países lusófonos’.

Neste contexto e para apresentar as JMJ aos bispos dos PALOPs, integra a delegação portuguesa o bispo auxiliar de Lisboa D. Joaquim Mendes, coordenador-geral da Jornada Mundial da Juventude 2022.

Para além deste tema o Conselho Permanente da CEP analisou algumas questões que vão marcar a assembleia plenária de abril deste ano, nomeadamente “a apreciação e aprovação das normas sobre a proteção de menores e pessoas vulneráveis na igreja”, acrescentou o padre Manuel Barbosa.

O sacerdote falou também da morte no final de 2019 em Bragança do estudante cabo-verdiano Luís Giovani dos Santos Rodrigues.

“É de lamentar este grave incidente”, diz o porta voz da CEP que manifesta também a solidariedade da igreja “para com a família, para com todos aqueles que acompanham, e também reafirmar sempre, com toda a convicção, com toda a força, reafirmar a defesa da paz e da harmonia, e da justiça que deve acontecer”.

Ainda ao portal da Santa Sé e no contexto do Oitavário de Oração pelos Cristãos, que está a decorrer também em Portugal com diversas iniciativas, o sacerdote reafirma o “diálogo ecumênico” que tem sido desenvolvido no país, “um caminho que é preciso continuar a incentivar com os nossos irmãos de outras confissões cristãs”.

Via Vatican News




Comentários


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *