Search
terça-feira 10 dezembro 2019
  • :
  • :

Papa: memória, esperança e paciência indicam o futuro

Antes de regressar ao Vaticano, o Papa Francisco agradeceu ao abade Bernardo Gianni por ter pregado o retiro quaresmal a ele e aos membros da Cúria Romana por seis dias.

“Agora cabe a mim”, começou o Pontífice. “Gostaria de agradecer-lhe, irmão Bernardo, por sua ajuda nesses dias. Impressionou-me o seu trabalho de nos fazer entrar, como fez o Verbo, no humano; e entender que Deus sempre se faz presente no humano, “indivisa et inconfusa”, deixando vestígios.

Guia turístico

O Papa agradeceu ao abade por ter falado de memória, “esta dimensão deuteronômica que esquecemos”, mas também de esperança, de trabalho e de paciência, indicando o caminho para o futuro.

E brincou quando, no início dos Exercícios, ficou “um pouco” desorientado com a leitura dos temas e mais parecia que a Cúria tivesse contratado um guia turístico que os levasse pelas ruas de Florença, entre os seus poetas.

Para Francisco, o abade foi corajoso como os padres conciliares que assinaram a Gaudium et Spes, “talvez o documento que mais teve resistência, inclusive hoje”.

“Eu lhe agradeço muito, reze por nós que somos todos pecadores – todos, e? – mas queremos ir avante assim, servindo o Senhor. Obrigado e leve a minha e a nossa saudação aos monges”, finalizou o Papa.

Durante seis dias, o Pontífice os membros da Cúria Romana foram convidados a meditar sobre o tema “A cidade dos desejos ardentes: olhares e gestos pascais na vida do mundo”, com inúmeras referências de personalidades e poetas da cidade de Florença.

Via Vatican News




Comentários


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *