Search
segunda-feira 16 setembro 2019
  • :
  • :

Papa a tripulantes do Navio-Escola Brasil: sejam leais servidores do país e colaboradores de Deus

Screenshot-2

O Papa Francisco fez uma saudação especial a um grupo de brasileiros presentes na Audiência Geral de quarta-feira (28), na Praça São Pedro. O Pontífice se dirigiu aos jovens cadetes da Marinha do Brasil, que fazem parte da maior turma já formada na Escola Naval, tripulantes do Navio-Escola Brasil para uma viagem de formação profissional e cultural, que está atracado há quase uma semana no Porto de Civitavecchia, a 60km de Roma, na Itália.

“ Saúdo cordialmente os peregrinos de língua portuguesa, em especial os jovens cadetes com seus instrutores e toda a tripulação do Navio-Escola Brasil: no vigor de sua juventude, na distinção de sua presença e na esperança que brilha em seus olhos, vislumbro a promessa, confirmada por esta peregrinação de fé, de que vocês serão leais servidores do grande e querido Brasil e colaboradores de Deus na construção de um mundo mais fraterno, com base na justiça, no amor e na paz. ”

A viagem de formação do Navio-Escola Brasil

A passagem do Navio-Escola pela Itália, que terminou na última quarta-feira, faz parte de um roteiro que começou em julho, no Rio de Janeiro, percorre 15 países e 18 portos ao redor do mundo, e termina em dezembro. A tripulação é composta por 31 oficiais, 216 praças e 227 Guardas Marinha (GM), além de 9 integrantes de Marinhas de nações amigas.

Essa Viagem anual de Instrução dos Guardas-Marinha (VIGM), já em sua edição de número 33, começou em 1987 e tradicionalmente marca o ingresso dos jovens oficiais na Marinha do Brasil. O projeto de formação visa a aplicação prática do conhecimento teórico adquirido na Escola Naval, além de aprimorar a formação cultural e representar o país nos diversos portos internacionais visitados, promovendo o estreitamento dos laços com outras nações. Durante a viagem e com todos os recursos de ponta de tecnologia nacional, são ministradas aulas de navegação, meteorologia, marinharia, operações navais, controle de avarias e administração naval, além da adaptação dos cadetes na vida de bordo.

Ao final da viagem, os Guardas-Marinha são nomeados ao posto de Segundo-Tenente e distribuídos em navios e organizações militares da Marinha por todo o Brasil.

Via Vatican News




Comentários


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *