Search
terça-feira 2 março 2021
  • :
  • :

10ª Semana do Tempo Comum – Sexta-feira

Primeira Leitura: 2 Coríntios 4,7-15

Leitura da segunda carta de são Paulo aos Coríntios – Irmãos, trazemos esse tesouro em vasos de barro, para que todos reconheçam que este poder extraordinário vem de Deus e não de nós. Somos afligidos de todos os lados, mas não vencidos pela angústia; postos entre os maiores apuros, mas sem perder a esperança; perseguidos, mas não desamparados; derrubados, mas não aniquilados; por toda parte e sempre levamos em nós mesmos os sofrimentos mortais de Jesus, para que também a vida de Jesus seja manifestada em nossos corpos. De fato, nós, os vivos, somos continuamente entregues à morte por causa de Jesus, para que também a vida de Jesus seja manifestada em nossa natureza mortal. Assim, a morte age em nós, enquanto a vida age em vós. Mas, sustentados pelo mesmo espírito de fé, conforme o que está escrito: “Eu creio e, por isso, falei”, nós também cremos e, por isso, falamos, certos de que aquele que ressuscitou o Senhor Jesus nos ressuscitará também com Jesus e nos colocará ao seu lado, juntamente convosco. E tudo isso é por causa de vós, para que a abundância da graça em um número maior de pessoas faça crescer a ação de graças para a glória de Deus. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 115(116B)

Oferto ao Senhor um sacrifício de louvor.

  1. Guardei a minha fé, mesmo dizendo: / “É demais o sofrimento em minha vida!” / Confiei quando dizia na aflição: / “Todo homem é mentiroso! Todo homem!” – R.
  2. É sentida por demais pelo Senhor / a morte de seus santos, seus amigos. / Eis que sou o vosso servo, ó Senhor, † vosso servo que nasceu de vossa serva; / mas me quebrastes os grilhões da escravidão! – R.
  3. Por isso oferto um sacrifício de louvor, / invocando o nome santo do Senhor. / Vou cumprir minhas promessas ao Senhor / na presença de seu povo reunido. – R.
Evangelho: Mateus 5,27-32

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Ouvistes o que foi dito: ‘Não cometerás adultério’. Eu, porém, vos digo, todo aquele que olhar para uma mulher com o desejo de possuí-la já cometeu adultério com ela no seu coração. Se o teu olho direito é para ti ocasião de pecado, arranca-o e joga-o para longe de ti! De fato, é melhor perder um de teus membros do que todo o teu corpo ser jogado no inferno. Se a tua mão direita é para ti ocasião de pecado, corta-a e joga-a para longe de ti! De fato, é melhor perder um dos teus membros do que todo o teu corpo ir para o inferno. Foi dito também: ‘Quem se divorciar de sua mulher, dê-lhe uma certidão de divórcio’. Eu, porém, vos digo, todo aquele que se divorcia de sua mulher, a não ser por motivo de união irregular, faz com que ela se torne adúltera; e quem se casa com a mulher divorciada comete adultério”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

Conforme a lei antiga do Primeiro Testamento, pelo matrimônio a mulher começava a fazer parte dos bens do homem. Ora, isso dava margem para a desigualdade entre homem e mulher e consequentemente levava o homem a oprimir a mulher. Jesus quer corrigir essa prática que é contrária ao projeto de Deus. Ou seja, Deus quer a igualdade da mulher e do homem. Por isso, ele exige a transformação do coração humano. O olhar impuro do desejo abre caminho à traição. Se a intenção é má, deve ser arrancada antes que se torne ato. Não se trata de constatar as ações externas (entre elas, o adultério), para puni-las com leis, mas sanar as intenções mais secretas da pessoa. Quanto ao divórcio, abolida a tolerância da lei de Moisés, o matrimônio torna-se livre escolha de amor fiel, com que o casal se compromete para sempre.




Comentários


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *