Search
terça-feira 20 outubro 2020
  • :
  • :

26ª Semana do Tempo Comum – Quarta-feira

Primeira Leitura: Jó 9,1-12.14-16

Leitura do livro de Jó – Jó respondeu a seus amigos e disse: “Sei muito bem que é assim: como poderia o homem ser justo diante de Deus? Se quisesse disputar com ele, entre mil razões não haverá uma para rebatê-lo. Ele é sábio de coração e poderoso em força; quem poderia enfrentá-lo e ficar ileso? Ele desloca as montanhas sem que elas percebam e as derruba em sua cólera. Ele abala a terra em suas bases e suas colunas vacilam. Ele manda ao sol que não brilhe e guarda escondidas as estrelas. Sozinho desdobra os céus e caminha sobre as ondas do mar. Criou a Ursa e o Órion, as Plêiades e as constelações do Sul. Faz prodígios insondáveis, maravilhas sem conta. Se passa junto de mim, não o vejo e, quando se afasta, não o percebo. Se ele apanha uma presa, quem ousa impedi-lo? Quem pode dizer-lhe: ‘O que está fazendo?’ Quem sou eu para replicar-lhe e contra ele escolher meus argumentos? Ainda que eu tivesse razão, não poderia replicar e deveria pedir misericórdia ao meu juiz. Se eu clamasse e ele me respondesse, não creio que daria atenção à minha voz”.  – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 87(88)

Chegue a minha oração até a vossa presença!

1. Clamo a vós, ó Senhor, sem cessar, todo o dia, / minhas mãos para vós se levantam em prece. / Para os mortos, acaso, faríeis milagres? / Poderiam as sombras erguer-se e louvar-vos? – R.

2. No sepulcro haverá quem vos cante o amor / e proclame entre os mortos a vossa verdade? / Vossas obras serão conhecidas nas trevas, / vossa graça, no reino onde tudo se esquece? – R.

3. Quanto a mim, ó Senhor, clamo a vós na aflição, / minha prece se eleva até vós desde a aurora. / Por que vós, ó Senhor, rejeitais a minha alma? / E por que escondeis vossa face de mim? – R.

Evangelho: Lucas 9,57-62

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas – Naquele tempo, enquanto Jesus e seus discípulos caminhavam, alguém na estrada disse a Jesus: “Eu te seguirei para onde quer que fores”. Jesus lhe respondeu: “As raposas têm tocas e os pássaros têm ninhos, mas o Filho do Homem não tem onde repousar a cabeça”. Jesus disse a outro: “Segue-me”. Este respondeu: “Deixa-me primeiro ir enterrar meu pai”. Jesus respondeu: ”Deixa que os mortos enterrem os seus mortos; mas tu, vai anunciar o Reino de Deus”. Um outro ainda lhe disse: ”Eu te seguirei, Senhor, mas deixa-me primeiro despedir-me dos meus familiares”. Jesus, porém, respondeu-lhe: “Quem põe a mão no arado e olha para trás não está apto para o Reino de Deus”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

Jesus segue seu caminho para Jerusalém, onde será crucificado. Alguém se mostra disposto a segui-lo (v. 57). Jesus o previne: é necessário ser solidário com todos os marginalizados, a exemplo do “Filho do Homem”, que escolheu ser pobre entre os pobres (v. 58). Outro recebe de Jesus o convite: “siga-me”, mas põe condições que atrasariam seu imediato engajamento; precisa cuidar da família. Jesus ensina-lhe que o anúncio do Reino de Deus é urgente e está acima de outros compromissos, também importantes. Um terceiro manifesta o desejo de seguir o Mestre, mas antes tem negócios familiares para acertar. Jesus não concorda. Olhar para trás é não viver o presente, é buscar seguranças humanas. Paulo dizia: “Esquecendo-me do que fica para trás… corro em direção à meta…” (Fl 3,13-14).




Comentários


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *