Categorias
Evangelho do dia

Sábado da Semana Santa

VIGÍLIA PASCAL

(branco, glória, prefácio da Páscoa I – ofício próprio)

Em comunhão com as comunidades cristãs do mundo todo, celebramos a Páscoa de Jesus, sua passagem da morte para a vida. Exultantes no Senhor ressuscitado, recordamos as maravilhas de Deus na história. Vivamos, em profunda alegria, as quatro partes desta que é a mãe de todas as vigílias: celebração da luz, liturgia da Palavra, liturgia batismal e liturgia eucarística. 

Apagadas as luzes e reunido o povo em torno do fogo aceso, com a presença do presidente e dos ministros, inicia-se a celebração da luz.

CELEBRAÇÃO DA LUZ

A Vigília Pascal se inicia com a celebração da luz, que contém três partes: a bênção do fogo, a procissão do círio pascal e a proclamação da Páscoa. Participemos com devoção desta solene celebração.

O presidente saúda a assembleia e explica o sentido da vigília com estas ou outras palavras:

Sentido da vigília

Meus irmãos e minhas irmãs, nesta noite santíssima, em que nosso Senhor Jesus Cristo passou da morte à vida, a Igreja convida os seus filhos dispersos por toda a terra a se reunirem em vigília e oração. Se comemorarmos a Páscoa do Senhor ouvindo sua Palavra e celebrando seus mistérios, podemos ter a firme esperança de participar do seu triunfo sobre a morte e de sua vida em Deus.

Primeira Leitura: Gênesis 1,1.26-31 – mais breve

As leituras proclamam as grandes maravilhas de Deus ao longo da história da humanidade, as quais continuam a ser motivo de alegria e ação de graças.

Leitura do livro do Gênesis – 1No princípio Deus criou o céu e a terra. 26Deus disse: “Façamos o homem à nossa imagem e segundo a nossa semelhança, para que domine sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os animais de toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam sobre a terra”. 27E Deus criou o homem à sua imagem, à imagem de Deus ele o criou: homem e mulher os criou. 28E Deus os abençoou e lhes disse: “Sede fecundos e multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a! Dominai sobre os peixes do mar, sobre os pássaros do céu e sobre todos os animais que se movem sobre a terra”. 29E Deus disse: “Eis que vos entrego todas as plantas que dão semente sobre a terra e todas as árvores que produzem fruto com sua semente, para vos servirem de alimento. 30E a todos os animais da terra, e a todas as aves do céu, e a tudo o que rasteja sobre a terra e que é animado de vida, eu dou todos os vegetais para alimento”. E assim se fez. 31E Deus viu tudo quanto havia feito, e eis que tudo era muito bom. Houve uma tarde e uma manhã: sexto dia. – Palavra do Senhor.

II leitura (Gênesis 22,1-2.9-13.15-18 – mais breve)

III leitura (Êxodo 14,15-15,1)

IV leitura (Isaías 54,5-14)

V leitura (Isaías 55,1-11)

VI leitura (Baruc 3,9-15.32-4,4)

VII leitura (Ezequiel 36,16-28)

Salmo Responsorial: 117(118)

Aleluia, aleluia, aleluia.

1. Dai graças ao Senhor, porque ele é bom! / Eterna é a sua misericórdia! / A casa de Israel agora o diga: / “Eterna é a sua misericórdia!” – R.

2. A mão direita do Senhor fez maravilhas, † a mão direita do Senhor me levantou, / a mão direita do Senhor fez maravilhas! / Não morrerei, mas, ao contrário, viverei / para cantar as grandes obras do Senhor! – R.

3. A pedra que os pedreiros rejeitaram / tornou-se agora a pedra angular. / Pelo Senhor é que foi feito tudo isso: / que maravilhas ele fez a nossos olhos! – R.

Salmo responsorial 103(104)

Salmo responsorial 15(16)

Salmo responsorial (Ex 15)

Salmo responsorial 29(30)

Salmo responsorial (Is 12)

Salmo responsorial 18B(19)

Salmo responsorial 41(42)

Segunda Leitura: Romanos 6,3-11

Leitura da carta de São Paulo aos Romanos – Irmãos, 3será que ignorais que todos nós, batizados em Jesus Cristo, é na sua morte que fomos batizados? 4Pelo batismo na sua morte, fomos sepultados com ele, para que, como Cristo ressuscitou dos mortos pela glória do Pai, assim também nós levemos uma vida nova. 5Pois, se fomos de certo modo identificados a Jesus Cristo por uma morte semelhante à sua, seremos semelhantes a ele também pela ressurreição. 6Sabemos que o nosso velho homem foi crucificado com Cristo, para que seja destruído o corpo de pecado, de maneira a não mais servirmos ao pecado. 7Com efeito, aquele que morreu está livre do pecado. 8Se, pois, morremos com Cristo, cremos que também viveremos com ele. 9Sabemos que Cristo ressuscitado dos mortos não morre mais; a morte já não tem poder sobre ele. 10Pois aquele que morreu, morreu para o pecado uma vez por todas; mas aquele que vive, é para Deus que vive. 11Assim, vós também considerai-vos mortos para o pecado e vivos para Deus, em Jesus Cristo. – Palavra do Senhor.

Evangelho: Marcos 16,1-7

1Quando passou o sábado, Maria Madalena e Maria, a mãe de Tiago, e Salomé, compraram perfumes para ungir o corpo de Jesus. 2E bem cedo, no primeiro dia da semana, ao nascer do sol, elas foram ao túmulo. 3E diziam entre si: “Quem rolará para nós a pedra da entrada do túmulo?” 4Era uma pedra muito grande. Mas, quando olharam, viram que a pedra já tinha sido retirada. 5Entraram, então, no túmulo e viram um jovem, sentado ao lado direito, vestido de branco. E ficaram muito assustadas. 6Mas o jovem lhes disse: “Não vos assusteis! Vós procurais Jesus de Nazaré, que foi crucificado? Ele ressuscitou. Não está aqui. 7Vede o lugar onde o puseram. Ide, dizei a seus discípulos e a Pedro que ele irá à vossa frente, na Galileia. Lá vós o vereis, como ele mesmo tinha dito”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

O sol surge no horizonte, é o primeiro dia de uma nova semana, símbolo da nova e definitiva humanidade, que inicia com a ressurreição de Jesus. As mulheres se interrogam: quem poderá remover a pedra que esconde o corpo do Senhor morto? Preocupadas com a própria impotência, ainda não compreendem que a sexta-feira da morte já tinha passado. Levantando os olhos, viram que seu problema estava resolvido, a pedra está removida. Ao verem o sepulcro aberto, elas entram. Ao verem o jovem, elas se assustam, mas ele as tranquiliza, dizendo que o Ressuscitado as espera na Galileia. Devem abandonar Jerusalém e os ideais antigos, para iniciar a missão na periferia. Onde Jesus começou sua missão é o lugar onde a comunidade dos seus seguidores deve iniciar a própria missão. Todo seguidor de Jesus é convidado a refazer o caminho do Mestre, iniciando na Galileia. A solene liturgia do Sábado Santo, a vigília das vigílias, deve nos transformar em alegres mensageiros da Boa-nova do Ressuscitado. A partir da ressurreição, Cristo acompanha as comunidades com o Espírito Santo prometido.(Dia a dia com o Evangelho 2024)

FONTE: PAULUS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *