Categorias
Evangelho do dia

Segunda-feira da 3ª Semana da Páscoa

SANTO ATANÁSIO

BISPO E DOUTOR DA IGREJA

(branco, pref. pascal, ou dos pastores, – ofício da memória)

O justo medita a sabedoria e sua palavra ensina a justiça, pois traz no coração a lei de seu Deus, aleluia! (Sl 36,30s)

Atanásio nasceu no ano 295 em Alexandria do Egito, onde foi bispo, e lá faleceu em 373. Exímio defensor da divindade de Cristo, participou ativamente do Concílio de Niceia, no ano 325. Vítima de pesadas calúnias, por diversas vezes sofreu o exílio. Escreveu a Vida de Santo Antão, de quem era amigo e admirador. Inspirados por esse santo doutor da Igreja, renovemos nossa fé em Cristo e sejamos fiéis cumpridores de sua mensagem.

Primeira Leitura: Atos 6,8-15

Leitura dos Atos dos Apóstolos – Naqueles dias, 8Estêvão, cheio de graça e poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo. 9Mas alguns membros da chamada Sinagoga dos Libertos, junto com cirenenses e alexandrinos e alguns da Cilícia e da Ásia, começaram a discutir com Estêvão. 10Porém não conseguiam resistir à sabedoria e ao Espírito com que ele falava. 11Então subornaram alguns indivíduos, que disseram: “Ouvimos este homem dizendo blasfêmias contra Moisés e contra Deus”. 12Desse modo, incitaram o povo, os anciãos e os doutores da Lei, que prenderam Estêvão e o conduziram ao sinédrio. 13Aí apresentaram falsas testemunhas, que diziam: “Este homem não cessa de falar contra este lugar santo e contra a Lei. 14E nós o ouvimos afirmar que Jesus Nazareno ia destruir este lugar e ia mudar os costumes que Moisés nos transmitiu”. 15Todos os que estavam sentados no sinédrio tinham os olhos fixos sobre Estêvão e viram seu rosto como o rosto de um anjo. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 118(119)

Feliz é quem na lei do Senhor Deus vai progredindo.

1. Que os poderosos reunidos me condenem; / o que me importa é o vosso julgamento! / Minha alegria é a vossa Aliança, / meus conselheiros são os vossos mandamentos. – R.

2. Eu vos narrei a minha sorte e me atendestes, / ensinai-me, ó Senhor, vossa vontade! / Fazei-me conhecer vossos caminhos / e então meditarei vossos prodígios! – R.

3. Afastai-me do caminho da mentira / e dai-me a vossa lei como um presente! / Escolhi seguir a trilha da verdade, / diante de mim eu coloquei vossos preceitos. – R.

Evangelho: João 6,22-29

Aleluia, aleluia, aleluia.

O homem não vive somente de pão, / mas de toda Palavra da boca de Deus (Mt 4,4). – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João – Depois que Jesus saciara os cinco mil homens, seus discípulos o viram andando sobre o mar. 22No dia seguinte, a multidão que tinha ficado do outro lado do mar constatou que havia só uma barca e que Jesus não tinha subido para ela com os discípulos, mas que eles tinham partido sozinhos. 23Entretanto, tinham chegado outras barcas de Tiberíades, perto do lugar onde tinham comido o pão depois de o Senhor ter dado graças. 24Quando a multidão viu que Jesus não estava ali nem os seus discípulos, subiram às barcas e foram à procura de Jesus em Cafarnaum. 25Quando o encontraram no outro lado do mar, perguntaram-lhe: “Rabi, quando chegaste aqui?” 26Jesus respondeu: “Em verdade, em verdade eu vos digo, estais me procurando não porque vistes sinais, mas porque comestes pão e ficastes satisfeitos. 27Esforçai-vos não pelo alimento que se perde, mas pelo alimento que permanece até a vida eterna e que o Filho do Homem vos dará. Pois este é quem o Pai marcou com seu selo”. 28Então perguntaram: “Que devemos fazer para realizar as obras de Deus?” 29Jesus respondeu: “A obra de Deus é que acrediteis naquele que ele enviou”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

A presença de Jesus encanta e fascina; ao mesmo tempo, essa presença desperta interesses que devem ser bem discernidos. A multidão, ao procurar Jesus, busca satisfazer sua necessidade imediata que é o pão; este pão, de fato, é importante e necessário, mas Jesus convida o povo que o segue a dar um passo a mais e, dessa forma, buscar o pão que não perece. Ele, Jesus, é esse pão que não se perde; contudo, para percebê-lo como pão de Deus, é preciso ter fé; sem a fé, que é dada por Deus, corremos o risco de permanecermos na esfera superficial da vida e seguirmos sempre em busca de quem nos satisfaz imediatamente. É possível que lancemos um olhar ao nosso redor e busquemos perceber, hoje, como se estabelece nossa relação com Jesus: é uma relação de fé, de conversão ou se trata de uma relação interesseira?(Dia a dia com o Evangelho 2022)

FONTE: PAULUS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.