Categorias
Evangelho do dia

Sábado da Semana Santa

VIGÍLIA PASCAL

(branco, glória, prefácio da Páscoa I – ofício próprio)

Em comunhão com todo o universo, celebramos a Páscoa de Jesus, sua passagem da morte para a vida. Exultantes no Senhor ressuscitado, recordamos as maravilhas de Deus na história. Vivamos, em profunda alegria, as quatro partes desta que é a mãe de todas as vigílias: celebração da luz, liturgia da Palavra, liturgia batismal e liturgia eucarística.

Primeira Leitura: Gênesis 1,1.26-31 – mais breve

Leitura do livro do Gênesis – 1No princípio Deus criou o céu e a terra. 26Deus disse: “Façamos o homem à nossa imagem e segundo a nossa semelhança, para que domine sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os animais de toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam sobre a terra”. 27E Deus criou o homem à sua imagem, à imagem de Deus ele o criou: homem e mulher os criou. 28E Deus os abençoou e lhes disse: “Sede fecundos e multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a! Dominai sobre os peixes do mar, sobre os pássaros do céu e sobre todos os animais que se movem sobre a terra”. 29E Deus disse: “Eis que vos entrego todas as plantas que dão semente sobre a terra e todas as árvores que produzem fruto com sua semente, para vos servirem de alimento. 30E a todos os animais da terra, e a todas as aves do céu, e a tudo o que rasteja sobre a terra e que é animado de vida, eu dou todos os vegetais para alimento”. E assim se fez. 31E Deus viu tudo quanto havia feito, e eis que tudo era muito bom. Houve uma tarde e uma manhã: sexto dia. – Palavra do Senhor.

Segue as leituras:

II leitura (Gênesis 22,1-2.9-13.15-18 – mais breve)

III leitura (Êxodo 14,15-15,1)

IV leitura (Isaías 54,5-14)

V leitura (Isaías 55,1-11)

VI leitura (Baruc 3,9-15.32-4,4)

VII leitura (Ezequiel 36,16-28)

Salmo Responsorial: 103(104)

Enviai o vosso Espírito, Senhor, / e da terra toda a face renovai.

1. Bendize, ó minha alma, ao Senhor! / Ó meu Deus e meu Senhor, como sois grande! / De majestade e esplendor vos revestis / e de luz vos envolveis como num manto. – R.

2. A terra vós firmastes em suas bases, / ficará firme pelos séculos sem fim; / os mares a cobriam como um manto, / e as águas envolviam as montanhas. – R.

3. Fazeis brotar em meio aos vales as nascentes / que passam serpeando entre as montanhas; / às suas margens vêm morar os passarinhos, / entre os ramos eles erguem o seu canto. – R.

4. De vossa casa, as montanhas irrigais, / com vossos frutos saciais a terra inteira; / fazeis crescer os verdes pastos para o gado / e as plantas que são úteis para o homem. – R.

5. Quão numerosas, ó Senhor, são vossas obras, / e que sabedoria em todas elas! / Encheu-se a terra com as vossas criaturas! / Bendize, ó minha alma, ao Senhor! – R.

Segue os Salmos:

Salmo responsorial 103(104)

Salmo responsorial 15(16)

Salmo responsorial (Ex 15)

Salmo responsorial 29(30)

Salmo responsorial (Is 12)

Salmo responsorial 18B(19)

Salmo responsorial 41(42)

Salmo responsorial 117(118)

Segunda Leitura: Romanos 6,3-11

Leitura da carta de São Paulo aos Romanos – Irmãos, 3será que ignorais que todos nós, batizados em Jesus Cristo, é na sua morte que fomos batizados? 4Pelo batismo na sua morte, fomos sepultados com ele, para que, como Cristo ressuscitou dos mortos pela glória do Pai, assim também nós levemos uma vida nova. 5Pois, se fomos, de certo modo, identificados a Jesus Cristo por uma morte semelhante à sua, seremos semelhantes a ele também pela ressurreição. 6Sabemos que o nosso velho homem foi crucificado com Cristo, para que seja destruído o corpo de pecado, de maneira a não mais servirmos ao pecado. 7Com efeito, aquele que morreu está livre do pecado. 8Se, pois, morremos com Cristo, cremos que também viveremos com ele. 9Sabemos que Cristo ressuscitado dos mortos não morre mais; a morte já não tem poder sobre ele. 10Pois aquele que morreu, morreu para o pecado uma vez por todas; mas aquele que vive, é para Deus que vive. 11Assim, vós também considerai-vos mortos para o pecado e vivos para Deus, em Jesus Cristo. – Palavra do Senhor.

Evangelho: Lucas 24,1-12

1No primeiro dia da semana, bem de madrugada, as mulheres foram ao túmulo de Jesus, levando os perfumes que haviam preparado. 2Elas encontraram a pedra do túmulo removida. 3Mas, ao entrar, não encontraram o corpo do Senhor Jesus 4e ficaram sem saber o que estava acontecendo. Nisso, dois homens com roupas brilhantes pararam perto delas. 5Tomadas de medo, elas olhavam para o chão, mas os dois homens disseram: “Por que estais procurando entre os mortos aquele que está vivo? 6Ele não está aqui. Ressuscitou! Lembrai-vos do que ele vos falou quando ainda estava na Galileia: 7‘O Filho do Homem deve ser entregue nas mãos dos pecadores, ser crucificado e ressuscitar ao terceiro dia’”. 8Então as mulheres se lembraram das palavras de Jesus. 9Voltaram do túmulo e anunciaram tudo isso aos Onze e a todos os outros. 10Eram Maria Madalena, Joana e Maria, mãe de Tiago. Também as outras mulheres que estavam com elas contaram essas coisas aos apóstolos. 11Mas eles acharam que tudo isso era desvario e não acreditaram. 12Pedro, no entanto, levantou-se e correu ao túmulo. Olhou para dentro e viu apenas os lençóis. Então voltou para casa, admirado com o que havia acontecido. – Palavra da salvação.

Reflexão:

No domingo bem cedo, as mulheres foram ao túmulo onde Jesus tinha sido posto. Certamente iam render-lhe homenagem, demonstrar afeto e cuidado pelo mestre e amigo que só fizera o bem e tivera um fim tão trágico: morte na cruz entre bandidos. Lá receberam a alegre notícia de que ele estava vivo e não deveria ser procurado entre os mortos. A lembrança das palavras de Jesus fez com que elas acreditassem que algo novo estava acontecendo e fizeram a ponte entre o fato da ressurreição e o anúncio aos apóstolos. A alegre mensagem que os “homens” deram às mulheres alimentou desde então a fé da Igreja: ele ressuscitou e está vivo entre nós! Elas foram as primeiras anunciadoras da melhor notícia que puderam divulgar. Crer na ressurreição de Jesus é tão importante que dá sentido à nossa fé e à nossa vivência cristã. O papa Francisco nos deixa bela mensagem: “A ressurreição de Cristo é o acontecimento mais fascinante da história humana, que atesta a vitória do amor de Deus sobre o pecado e a morte e doa à nossa esperança de vida um fundamento sólido como a rocha”. A ressurreição de Jesus é expressão do amor do Pai que não aceita que seu Filho permaneça entre os mortos. Ele faz parte dos vivos na eternidade, à qual todos somos convidados.(Dia a dia com o Evangelho 2022)

FONTE: PAULUS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.