Categorias
Evangelho do dia

5º Domingo da Quaresma

(roxo, creio – 1ª semana do saltério)

A mim, ó Deus, fazei justiça, defendei a minha causa contra a gente sem piedade; do homem perverso e traidor libertai-me, porque sois, ó Deus, o meu socorro (Sl 42,1s).

Reunidos para celebrar a Eucaristia, somos convidados a acolher o amor e a misericórdia de Deus, derramados sobre nós como rios em terra seca. A páscoa de Cristo se manifesta nos corações que buscam a comunhão com ele; lancemo-nos, pois, para a frente em nossa caminhada de fé, buscando superar o espírito de preconceito e condenação.

Primeira Leitura: Isaías 43,16-21

Leitura do livro do profeta Isaías – 16Isto diz o Senhor, que abriu uma passagem no mar e um caminho entre águas impetuosas; 17que pôs a perder carros e cavalos, tropas e homens corajosos; pois estão todos mortos e não ressuscitarão, foram abafados como mecha de pano e apagaram-se: 18“Não relembreis coisas passadas, não olheis para fatos antigos. 19Eis que eu farei coisas novas e que já estão surgindo: acaso não as reconheceis? Pois abrirei uma estrada no deserto e farei correr rios na terra seca. 20Hão de glorificar-me os animais selvagens, os dragões e os avestruzes, porque fiz brotar água no deserto e rios na terra seca para dar de beber a meu povo, a meus escolhidos. 21Este povo, eu o criei para mim e ele cantará meus louvores”. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 125(126)

Maravilhas fez conosco o Senhor, / exultemos de alegria!                                   

1. Quando o Senhor reconduziu nossos cativos, / parecíamos sonhar; / encheu-se de sorriso nossa boca, / nossos lábios, de canções. – R.

2. Entre os gentios se dizia: “Maravilhas / fez com eles o Senhor!” / Sim, maravilhas fez conosco o Senhor, / exultemos de alegria! – R.

3. Mudai a nossa sorte, ó Senhor, / como torrentes no deserto. / Os que lançam as sementes entre lágrimas / ceifarão com alegria. – R.

4. Chorando de tristeza, sairão, / espalhando suas sementes; / cantando de alegria, voltarão, / carregando os seus feixes! – R.

Segunda Leitura: Filipenses 3,8-14

Leitura da carta de São Paulo aos Filipenses – Irmãos, 8na verdade, considero tudo como perda diante da vantagem suprema que consiste em conhecer a Cristo Jesus, meu Senhor. Por causa dele, eu perdi tudo. Considero tudo como lixo, para ganhar Cristo e ser encontrado unido a ele, 9não com minha justiça provindo da Lei, mas com a justiça por meio da fé em Cristo, a justiça que vem de Deus, na base da fé. 10Esta consiste em conhecer a Cristo, experimentar a força da sua ressurreição, ficar em comunhão com os seus sofrimentos, tornando-me semelhante a ele na sua morte, 11para ver se alcanço a ressurreição dentre os mortos. 12Não que já tenha recebido tudo isso ou que já seja perfeito. Mas corro para alcançá-lo, visto que já fui alcançado por Cristo Jesus. 13Irmãos, eu não julgo já tê-lo alcançado. Uma coisa, porém, eu faço: esquecendo o que fica para trás, eu me lanço para o que está na frente. 14Corro direto para a meta, rumo ao prêmio que, do alto, Deus me chama a receber em Cristo Jesus. – Palavra do Senhor.

Evangelho: João 8,1-11

Glória a vós, ó Cristo, Verbo de Deus.

Agora, eis o que diz o Senhor: / De coração convertei-vos a mim, / pois sou bom, compassivo e clemente (Jl 2,12s). – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João – Naquele tempo, 1Jesus foi para o monte das Oliveiras. 2De madrugada, voltou de novo ao templo. Todo o povo se reuniu em volta dele. Sentando-se, começou a ensiná-los. 3Entretanto, os mestres da Lei e os fariseus trouxeram uma mulher surpreendida em adultério. Colocando-a no meio deles, 4disseram a Jesus: “Mestre, esta mulher foi surpreendida em flagrante adultério. 5Moisés, na Lei, mandou apedrejar tais mulheres. Que dizes tu?” 6Perguntavam isso para experimentar Jesus e para terem motivo de o acusar. Mas Jesus, inclinando-se, começou a escrever com o dedo no chão. 7Como persistissem em interrogá-lo, Jesus ergueu-se e disse: “Quem dentre vós não tiver pecado seja o primeiro a atirar-lhe uma pedra”. 8E tornando a inclinar-se, continuou a escrever no chão. 9E eles, ouvindo o que Jesus falou, foram saindo um a um, a começar pelos mais velhos; e Jesus ficou sozinho com a mulher que estava lá, no meio do povo. 10Então Jesus se levantou e disse: “Mulher, onde estão eles? Ninguém te condenou?” 11Ela respondeu: “Ninguém, Senhor”. Então Jesus lhe disse: “Eu também não te condeno. Podes ir e, de agora em diante, não peques mais”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

O povo vai ao encontro de Jesus, porque o ama e gosta de estar com ele. Há um relacionamento mútuo de amor e todos se sentem acolhidos. Por outro lado, há os adversários sempre dispostos a atrapalhar o encontro fraterno e amigo de Jesus com seu povo. Esses adversários levam uma mulher adúltera para que Jesus a condene conforme a lei. Depois que Jesus ordenou que atirasse a primeira pedra quem não tivesse pecado, restaram somente, como disse Santo Agostinho, a grandeza do amor e a pequenez daquela mulher. Fora levada por aqueles que queriam sua condenação. Nosso Senhor, como sempre, não deixou passar a ocasião de transformar a vida daquela mulher e de dar uma boa lição aos seus acusadores, que foram embora envergonhados. O amor de Jesus supera a crueldade desses adversários, que não trouxeram o adúltero. Talvez ele estivesse de pé no meio deles com uma pedra na mão. Toda pessoa cristã deveria se colocar diante de Jesus, para receber ao mesmo tempo a abundância de seu amor e a indicação do caminho a seguir. Jesus é juiz e nos deixou um mandamento: não julguem. Ele reserva a si essa função, no fim dos tempos. Por ora, o que ele exerce, com abundância e muita generosidade, é a misericórdia, o amor e o perdão.(Dia a dia com o Evangelho 2022)

FONTE: PAULUS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.