Categorias
Evangelho do dia

Segunda-feira da 8ª semana do Tempo Comum

(verde – ofício do dia)

O Senhor se tornou o meu apoio, libertou-me da angústia e me salvou porque me ama (Sl 17,19s).

“Graças à fé e pelo poder de Deus”, o cristão aguarda a herança que lhe é reservada nos céus, a participação da glória do Senhor. O bom Mestre nos ajude a, cada vez mais, conhecer e praticar seus ensinamentos.

Primeira Leitura: 1 Pedro 1,3-9

Leitura da primeira carta de São Pedro – 3Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo. Em sua grande misericórdia, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, ele nos fez nascer de novo 4para uma esperança viva, para uma herança incorruptível, que não estraga, que não se mancha nem murcha e que é reservada para vós nos céus. 5Graças à fé e pelo poder de Deus, vós fostes guardados para a salvação que deve manifestar-se nos últimos tempos. 6Isso é motivo de alegria para vós, embora seja necessário que agora fiqueis por algum tempo aflitos, por causa de várias provações. 7Desse modo, a vossa fé será provada como sendo verdadeira – mais preciosa que o ouro perecível, que é provado no fogo – e alcançará louvor, honra e glória no dia da manifestação de Jesus Cristo. 8Sem ter visto o Senhor, vós o amais. Sem o ver ainda, nele acreditais. Isso será para vós fonte de alegria indizível e gloriosa, 9pois obtereis aquilo em que acreditais: a vossa salvação. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 110(111)

O Senhor se lembra sempre da Aliança.

1. Eu agradeço a Deus de todo o coração / junto com todos os seus justos reunidos! / Que grandiosas são as obras do Senhor, / elas merecem todo o amor e admiração! – R.

2. Ele dá o alimento aos que o temem / e jamais esquecerá sua Aliança. / Ao seu povo manifesta seu poder, / dando a ele a herança das nações. – R.

3. Enviou libertação para o seu povo, / confirmou sua Aliança para sempre. / Seu nome é santo e é digno de respeito, / permaneça eternamente o seu louvor. – R.

Evangelho: Marcos 10,17-27

Aleluia, aleluia, aleluia.

Jesus Cristo, Senhor nosso, embora sendo rico, / para nós se tornou pobre, a fim de enriquecer-nos / mediante sua pobreza (2Cor 8,9). – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 17quando Jesus saiu a caminhar, veio alguém correndo, ajoelhou-se diante dele e perguntou: “Bom Mestre, que devo fazer para ganhar a vida eterna?” 18Jesus disse: “Por que me chamas de bom? Só Deus é bom, e mais ninguém. 19Tu conheces os mandamentos: não matarás; não cometerás adultério; não roubarás; não levantarás falso testemunho; não prejudicarás ninguém; honra teu pai e tua mãe!” 20Ele respondeu: “Mestre, tudo isso tenho observado desde a minha juventude”. 21Jesus olhou para ele com amor e disse: “Só uma coisa te falta: vai, vende tudo o que tens e dá aos pobres, e terás um tesouro no céu. Depois vem e segue-me!” 22Mas, quando ele ouviu isso, ficou abatido e foi embora cheio de tristeza, porque era muito rico. 23Jesus então olhou ao redor e disse aos discípulos: “Como é difícil para os ricos entrar no Reino de Deus!” 24Os discípulos se admiravam com essas palavras, mas ele disse de novo: “Meus filhos, como é difícil entrar no Reino de Deus! 25É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus!” 26Eles ficaram muito espantados ao ouvirem isso e perguntavam uns aos outros: “Então, quem pode ser salvo?” 27Jesus olhou para eles e disse: “Para os homens isso é impossível, mas não para Deus. Para Deus tudo é possível”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

Alguém se aproxima de Jesus e o interroga a respeito da vida eterna. Pela prática e pela observância, esse alguém demonstra ser pessoa piedosa. Bom observante dos mandamentos, só lhe falta uma coisa: vender os bens em favor dos pobres. Essa proposta não agradou, tanto que ele se retirou triste. Não conseguiu desprender-se dos bens e se colocar no caminho de Jesus. Voltou para o conforto de suas posses. Não teve dificuldade no “não fazer isso e aquilo”, mas o problema foi quando Jesus lhe pede “fazer algo aos outros”. A partir disso, o Mestre faz um alerta a respeito dos bens materiais e da riqueza concentrada. Percebemos pelo episódio que a sedução das riquezas é grande obstáculo para se tornar seguidor de Jesus. O apelo do Mestre é que a riqueza deve estar a serviço das necessidades das pessoas, e não concentrada nas mãos de alguns privilegiados.(Dia a dia com o Evangelho 2022)

FONTE: PAULUS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.