Categorias
Evangelho do dia

Sábado da 6ª semana do Tempo Comum

(verde – ofício do dia)

Sede o rochedo que me abriga, a casa bem defendida que me salva. Sois minha fortaleza e minha rocha; para honra do vosso nome, vós me conduzis e alimentais (Sl 30,3s).

Com a língua “bendizemos o Senhor e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à imagem de Deus”. O Senhor nos ensine a saber o que dizer, quando preciso, e a silenciar, quando isso for o melhor a fazer.

Primeira Leitura: Tiago 3,1-10

Leitura da carta de São Tiago – 1Meus irmãos, não haja muitos que queiram ser mestres! Sabeis que nós, os mestres, estamos sujeitos a julgamento mais severo, 2pois todos nós tropeçamos em muitas coisas. Aquele que não peca no uso da língua é um homem perfeito, capaz de refrear também o corpo todo. 3Se pomos um freio na boca do cavalo para que nos obedeça, conseguimos dirigir o seu corpo todo. 4Reparai também nos navios: por maiores que sejam e impelidos por ventos impetuosos, são, entretanto, conduzidos por um pequeníssimo leme na direção que o timoneiro deseja. 5Assim também a língua, embora seja um membro pequeno, se gloria de grandes coisas. Comparai o tamanho da chama com o da floresta que ela incendeia! 6Ora, também a língua é um fogo! É o universo da malícia! Fazendo parte dos nossos membros, a língua contamina o corpo todo e, atiçada como está pelo inferno, põe em chamas o ciclo de nossa existência! 7Com efeito, toda espécie de feras, de aves, de répteis e de animais marinhos pode ser domada e tem sido domada pela espécie humana. 8Mas a língua, nenhum homem consegue domá-la: ela é um mal que não desiste e está cheia de veneno mortífero. 9Com ela bendizemos o Senhor e Pai e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à imagem de Deus. 10Da mesma boca saem bênção e maldição! Ora, meus irmãos, não convém que seja assim. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 11(12)

Com certeza, ó Senhor, nos guardareis!

1. Senhor, salvai-nos! Já não há um homem bom! / Não há mais fidelidade em meio aos homens! / Cada um só diz mentiras a seu próximo, / com língua falsa e coração enganador. – R.

2. Senhor, calai todas as bocas mentirosas / e a língua dos que falam com soberba, / dos que dizem: “Nossa língua é nossa força! / Nossos lábios são por nós! Quem nos domina?” – R.

3. As palavras do Senhor são verdadeiras, † como a prata totalmente depurada, / sete vezes depurada pelo fogo. / Vós, porém, ó Senhor Deus, nos guardareis / para sempre, nos livrando desta raça! – R.

Evangelho: Marcos 9,2-13

Aleluia, aleluia, aleluia.

Abriram-se os céus e fez-se ouvir a voz do Pai: / Eis meu Filho muito amado, escutai-o, todos vós! (Mc 9,7) – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 2Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João e os levou sozinhos a um lugar à parte sobre uma alta montanha. E transfigurou-se diante deles. 3Suas roupas ficaram brilhantes e tão brancas como nenhuma lavadeira sobre a terra poderia alvejar. 4Apareceram-lhe Elias e Moisés, e estavam conversando com Jesus. 5Então Pedro tomou a palavra e disse a Jesus: “Mestre, é bom ficarmos aqui. Vamos fazer três tendas: uma para ti, outra para Moisés e outra para Elias”. 6Pedro não sabia o que dizer, pois estavam todos com muito medo. 7Então desceu uma nuvem e os encobriu com sua sombra. E da nuvem saiu uma voz: “Este é o meu Filho amado. Escutai o que ele diz!” 8E, de repente, olhando em volta, não viram mais ninguém, a não ser somente Jesus com eles. 9Ao descerem da montanha, Jesus ordenou que não contassem a ninguém o que tinham visto, até que o Filho do Homem tivesse ressuscitado dos mortos. 10Eles observaram essa ordem, mas comentavam entre si o que queria dizer “ressuscitar dos mortos”. 11Os três discípulos perguntaram a Jesus: “Por que os mestres da Lei dizem que antes deve vir Elias?” 12Jesus respondeu: “De fato, antes vem Elias, para colocar tudo em ordem. Mas como dizem as Escrituras que o Filho do Homem deve sofrer muito e ser rejeitado? 13Eu, porém, vos digo: Elias já veio, e fizeram com ele tudo o que quiseram, exatamente como as Escrituras falaram a respeito dele”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

Jesus decide tomar três discípulos e subir a montanha. Lá acontece algo extraordinário: transfigura-se diante deles. Com essa cena, Jesus manifesta-se na plenitude da sua condição humano-divina. Em Jesus, Deus revela sua glória e seu poder salvador. Pedro gostou do que estava acontecendo e pede para perpetuar a permanência em cima da montanha: “é bom estarmos aqui!” Nessa cena, os discípulos descobrem a importância da contemplação, a qual deveria levar a uma vivência mais fraterna e solidária. Símbolo da presença divina, a nuvem anuncia: este é meu filho amado, escutem-no. A transfiguração é uma exortação para que escutemos Jesus e sigamos seus ensinamentos, que estão sempre no sentido de defesa da vida. Como seria diferente a realidade se nos deixássemos conduzir pelas suas palavras, as quais apontam para as realidades do Reino de Deus.(Dia a dia com o Evangelho 2022)

FONTE: PAULUS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.