Categorias
Evangelho do dia

Sexta-feira da 5ª semana do Tempo Comum

(verde – ofício do dia)

Entrai, inclinai-vos e prostrai-vos: adoremos o Senhor que nos criou, pois ele é o nosso Deus (Sl 94,6s).

Nem sempre o ser humano segue os apelos do Senhor, que conduz a história humana. Deus, porém, mostra-se favorável aos que lhe obedecem, abrindo-lhes caminhos de vida.

Primeira Leitura: 1 Reis 11,29-32; 12,19

Leitura do primeiro livro dos Reis – 29Aconteceu, naquele tempo, que, tendo Jeroboão saído de Jerusalém, veio ao seu encontro o profeta Aías, de Silo, coberto com um manto novo. Os dois achavam-se sós no campo. 30Aías, tomando o manto novo que vestia, rasgou-o em doze pedaços 31e disse a Jeroboão: “Toma para ti dez pedaços. Pois assim fala o Senhor, Deus de Israel: Eis que vou arrancar o reino das mãos de Salomão e te darei dez tribos. 32Mas ele ficará com uma tribo, por consideração para com meu servo Davi e para com Jerusalém, cidade que escolhi dentre todas as tribos de Israel”. 12,19Israel rebelou-se contra a casa de Davi até o dia de hoje. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 80(81)

Ouve, meu povo, porque eu sou o teu Deus!

1. Em teu meio não exista um deus estranho, / nem adores a um deus desconhecido! / Porque eu sou o teu Deus e teu Senhor, / que da terra do Egito te arranquei. – R.

2. Mas meu povo não ouviu a minha voz, / Israel não quis saber de obedecer-me. / Deixei, então, que eles seguissem seus caprichos, / abandonei-os ao seu duro coração. – R.

3. Quem me dera que meu povo me escutasse! / Que Israel andasse sempre em meus caminhos! / Seus inimigos, sem demora, humilharia / e voltaria minha mão contra o opressor. – R.

Evangelho: Marcos 7,31-37

Aleluia, aleluia, aleluia.

Abri-nos, ó Senhor, o coração / para ouvirmos a Palavra de Jesus! (At 16,14) – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 31Jesus saiu de novo da região de Tiro, passou por Sidônia e continuou até o mar da Galileia, atravessando a região da Decápole. 32Trouxeram então um homem surdo, que falava com dificuldade, e pediram que Jesus lhe impusesse a mão. 33Jesus afastou-se com o homem para fora da multidão; em seguida, colocou os dedos nos seus ouvidos, cuspiu e, com a saliva, tocou a língua dele. 34Olhando para o céu, suspirou e disse: “Efatá!”, que quer dizer: “Abre-te!” 35Imediatamente seus ouvidos se abriram, sua língua se soltou e ele começou a falar sem dificuldade. 36Jesus recomendou com insistência que não contassem a ninguém. Mas, quanto mais ele recomendava, mais eles divulgavam. 37Muito impressionados, diziam: “Ele tem feito bem todas as coisas: aos surdos faz ouvir e aos mudos falar”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

Jesus continua circulando em território estrangeiro, realizando curas. No texto de hoje, temos o caso de um homem surdo e gago. O Mestre, sem medo de se contaminar, leva o homem para fora da multidão e o toca no ouvido e na língua. A surdez impede a pessoa de ouvir e acolher os ensinamentos do Mestre; ao passo que a gaguez dificulta o anúncio da Palavra. Sua deficiência o mantinha fechado em si mesmo e o impedia de se comunicar. Tudo isso pode simbolizar os discípulos incapazes de ouvir o Mestre e de serem fiéis anunciadores de sua Palavra. Podemos ver, nesse relato, também os oprimidos da sociedade: os que não contam, os ensurdecidos e calados pela opressão. A Igreja libertadora é convidada a ser voz dos que não têm voz. Com a cura, Jesus realiza as mesmas obras de Deus, descritas no livro do Gênesis: fez bem todas as coisas.(Dia a dia com o Evangelho 2022)

FONTE: PAULUS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.