Categorias
Evangelho do dia

Segunda-feira da 2ª semana do Tempo Comum

SANTO ANTÃO

PAI DA VIDA MONACAL

(branco, pref. comum, – ofício da memória)

O justo florescerá como a palmeira; crescerá como o cedro do Líbano, plantado na casa do Senhor, nos átrios de nosso Deus (Sl 91,13s).

Antão nasceu no Egito em 250 e lá faleceu em 356. Ainda jovem, doou seus bens aos pobres e retirou-se para o deserto, onde iniciou intensa vida de comunhão com Deus. A ele uniram-se, mais tarde, dezenas de discípulos, que abraçaram seu mesmo estilo de vida. É considerado o pai dos monges e de todas as formas de vida religiosa. A seu exemplo, sintamo-nos estimulados à prática radical do Evangelho.

Primeira Leitura: 1 Samuel 15,16-23

Leitura do primeiro livro de Samuel – Naqueles dias, 16Samuel disse a Saul: “Basta! Deixa-me dizer-te o que o Senhor me revelou esta noite”. Saul disse: “Fala!” 17Então Samuel começou: “Por menor que sejas aos teus próprios olhos, acaso não és o chefe das tribos de Israel? O Senhor ungiu-te rei sobre Israel 18e te enviou em expedição com a ordem de eliminar os amalecitas, esses malfeitores, combatendo-os até que fossem exterminados. 19Por que não ouviste a voz do Senhor e te precipitaste sobre os despojos, e fizeste o que desagrada ao Senhor?” 20Saul respondeu a Samuel: “Mas eu obedeci ao Senhor! Realizei a expedição a que ele me enviou. Trouxe Agag, rei de Amalec, para cá e exterminei os amalecitas. 21Quanto aos despojos, o povo reteve, das ovelhas e dos bois, o melhor do que devia ser eliminado, para sacrificar ao Senhor teu Deus em Guilgal”. 22Mas Samuel replicou: “O Senhor quer holocaustos e sacrifícios ou quer a obediência à sua palavra? A obediência vale mais que o sacrifício, a docilidade mais que oferecer gordura de carneiros. 23A rebelião é um verdadeiro pecado de magia, um crime de idolatria, uma obstinação. Assim, porque rejeitaste a palavra do Senhor, ele te rejeitou: tu não és mais rei”. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 49(50)

A todo homem que procede retamente, / eu mostrarei a salvação que vem de Deus.

1. Eu não venho censurar teus sacrifícios, / pois sempre estão perante mim teus holocaustos; / não preciso dos novilhos de tua casa / nem dos carneiros que estão nos teus rebanhos. – R.

2. Como ousas repetir os meus preceitos / e trazer minha aliança em tua boca? / Tu que odiaste minhas leis e meus conselhos / e deste as costas às palavras dos meus lábios! – R.

3. Diante disso que fizeste, eu calarei? / Acaso pensas que eu sou igual a ti? / É disso que te acuso e repreendo / e manifesto essas coisas aos teus olhos. – R.

4. Quem me oferece um sacrifício de louvor, / este, sim, é que me honra de verdade. / A todo homem que procede retamente, / eu mostrarei a salvação que vem de Deus. – R.

Evangelho: Marcos 2,18-22

Aleluia, aleluia, aleluia.

A Palavra do Senhor é viva e eficaz: / ela julga os pensamentos e as intenções do coração (Hb 4,12). – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 18os discípulos de João Batista e os fariseus estavam jejuando. Então, vieram dizer a Jesus: “Por que os discípulos de João e os discípulos dos fariseus jejuam, e os teus discípulos não jejuam?” 19Jesus respondeu: “Os convidados de um casamento poderiam, por acaso, fazer jejum, enquanto o noivo está com eles? Enquanto o noivo está com eles, os convidados não podem jejuar. 20Mas vai chegar o tempo em que o noivo será tirado do meio deles; aí, então, eles vão jejuar. 21Ninguém põe um remendo de pano novo numa roupa velha, porque o remendo novo repuxa o pano velho e o rasgão fica maior ainda. 22Ninguém põe vinho novo em odres velhos, porque o vinho novo arrebenta os odres velhos e o vinho e os odres se perdem. Por isso, vinho novo em odres novos”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

Para cada coisa há um momento próprio, até para jejuar, diz Jesus. Alguns grupos se preocupam pelo fato de que os discípulos de Jesus não jejuam como eles. Jesus não desaprova o jejum como meio de conversão ou de solidariedade, dá-lhe nova dimensão dentro da novidade de sua mensagem. Sua nova mensagem exige corações novos, abertos a essa novidade. Pode não dar certo agregar esquemas ultrapassados à novidade do Reino inaugurado com o Mestre de Nazaré. Seria como remendar traje velho com remendo novo ou colocar vinho novo em vasilhas velhas. O jejum, segundo Jesus, é válido quando leva à libertação interior e fortalece o amor e o compromisso com aqueles que têm de jejuar todos os dias por falta de comida. A questão do jejum deveria questionar nossa sociedade consumista de forma desenfreada. Jejuar contra o consumismo doentio.(Dia a dia com o Evangelho 2022)

FONTE: PAULUS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.