Categorias
Evangelho do dia

Segunda-Feira da 12° Semana do Tempo Comum

SÃO LUÍS GONZAGA, RELIGIOSO

(branco, pref. comum ou dos santos, – ofício da memória)

O homem de coração puro e mãos inocentes é digno de subir à montanha do Senhor e de permanecer em seu santuário (Sl 23,4.3).

Luís nasceu na Itália em 1568 e lá faleceu em 1591. Renunciou à vida de nobreza dos Gonzagas e a toda a glória do mundo para ingressar na jovem Companhia de Jesus, os Jesuítas. Foi noviço exemplar e dedicou-se intensamente ao estudo, à oração e à caridade. Peçamos pelos jovens que se põem inteiramente a serviço do Reino de Deus.

Primeira Leitura: Gênesis 12,1-9

Leitura do livro do Gênesis – Naqueles dias, 1o Senhor disse a Abrão: “Sai da tua terra, da tua família e da casa do teu pai e vai para a terra que eu te vou mostrar. 2Farei de ti um grande povo e te abençoarei: engrandecerei o teu nome, de modo que ele se torne uma bênção. 3Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão abençoadas todas as famílias da terra!” 4E Abrão partiu, como o Senhor lhe havia dito, e Ló foi com ele. Tinha Abrão setenta e cinco anos quando partiu de Harã. 5Ele levou consigo sua mulher Sarai, seu sobrinho Ló e todos os bens que possuíam, bem como todos os escravos que haviam adquirido em Harã. Partiram rumo à terra de Canaã e ali chegaram. 6Abrão atravessou o país até o santuário de Siquém, até o carvalho de Moré. Os cananeus estavam então naquela terra. 7O Senhor apareceu a Abrão e lhe disse: “Darei esta terra à tua descendência”. Abrão ergueu ali um altar ao Senhor, que lhe tinha aparecido. 8De lá, deslocou-se em direção ao monte que estava a oriente de Betel, onde armou sua tenda, com Betel a ocidente e Hai a oriente. Ali construiu também um altar ao Senhor e invocou o seu nome. 9Depois, de acampamento em acampamento, Abrão foi até o Negueb. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 32(33)

Feliz o povo que o Senhor escolheu por sua herança!

1. Feliz o povo cujo Deus é o Senhor / e a nação que escolheu por sua herança! / Dos altos céus o Senhor olha e observa; / ele se inclina para olhar todos os homens. – R.

2. Mas o Senhor pousa o olhar sobre os que o temem / e que confiam, esperando em seu amor, / para da morte libertar as suas vidas / e alimentá-los quando é tempo de penúria. – R.

3. No Senhor nós esperamos confiantes, / porque ele é nosso auxílio e proteção! / Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça, / da mesma forma que em vós nós esperamos! – R.

Evangelho: Mateus 7,1-5

Aleluia, aleluia, aleluia.

A palavra do Senhor é viva e eficaz: / ela julga os pensamentos e as intenções do coração (Hb 4,12). – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 1“Não julgueis e não sereis julgados. 2Pois vós sereis julgados com o mesmo julgamento com que julgardes; e sereis medidos com a mesma medida com que medirdes. 3Por que observas o cisco no olho do teu irmão e não prestas atenção à trave que está no teu próprio olho? 4Ou como podes dizer ao teu irmão: ‘deixa-me tirar o cisco do teu olho’, quando tu mesmo tens uma trave no teu? 5Hipócrita, tira primeiro a trave do teu próprio olho e então enxergarás bem para tirar o cisco do olho do teu irmão”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

Jesus se posiciona contra o julgamento arrogante. Trata-se do julgamento que despreza e condena. Emitir juízo sobre alguém é, no mínimo, imprudente. Primeiro, porque toda pessoa é um mistério, e não está em nosso poder conhecer-lhe o interior, o que pensa e o que sente. Segundo, porque mesmo que sejamos testemunhas oculares de suas atitudes, corremos o risco de interpretá-las erroneamente, não raro movidos por preconceito ou má-fé. Não fomos criados para condenar, e sim para amar. Eis por que Jesus nos deixa um recado sensato e mais que oportuno: “Tire primeiro a trave de seu olho, e então você enxergará bem para tirar a trave do olho de seu irmão”. Tarefa para a vida inteira, já que corrigir os próprios defeitos não é fácil nem automático: requer intenso e perseverante trabalho espiritual.

Oração
Ó Jesus, nosso Mestre, tua advertência vem nos ajudar a corrigir uma tendência bastante comum entre os seres humanos: a de apontar e criticar os defeitos dos outros. Senhor, tu nos ensinas a prestar atenção primeiramente em nossos próprios defeitos. Observar e emendar. Amém.(Dia a dia com o Evangelho 2021 – Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp e Pe. Nilo Luza, ssp)

FONTE: PAULUS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *