Search
segunda-feira 1 março 2021
  • :
  • :

14ª Semana do Tempo Comum – Segunda-feira

Primeira Leitura: Gênesis 28,10-22

Leitura do livro do Gênesis – Naqueles dias, Jacó saiu de Bersabeia e dirigiu-se a Harã. Chegando a certo lugar, quis passar ali a noite, pois o sol já se havia posto. Tomou uma das pedras do lugar, fez dela travesseiro e ali mesmo adormeceu. E viu em sonho uma escada apoiada no chão, com a outra ponta tocando o céu e os anjos de Deus subindo e descendo por ela. No alto da escada estava o Senhor, que lhe dizia: “Eu sou o Senhor, Deus de Abraão, teu pai, e Deus de Isaac; darei a ti e à tua descendência a terra em que dormes. A tua descendência será como o pó da terra, e te expandirás para o ocidente e o oriente, para o norte e para o sul. Em ti e em tua descendência serão abençoadas todas as nações da terra. Estou contigo e te guardarei aonde quer que vás, e te reconduzirei a esta terra. Nunca te abandonarei, até cumprir o que te prometi”. Ao despertar, Jacó disse: “Sem dúvida, o Senhor está neste lugar e eu não sabia”. Cheio de pavor, disse: “Como é terrível este lugar! Isto aqui só pode ser a casa de Deus e a porta do céu”. Jacó levantou-se bem cedo, tomou a pedra de que tinha feito travesseiro e colocou-a de pé para servir de coluna sagrada, derramando óleo sobre ela. E deu ao lugar o nome de Betel. Antes, porém, a cidade chamava-se Luza. Jacó fez um voto, dizendo: “Se Deus estiver comigo e me proteger nesta viagem, dando-me pão para comer e roupa para vestir, e se eu voltar são e salvo para a casa de meu pai, então o Senhor será o meu Deus. E esta pedra que ergui como coluna sagrada será uma ‘morada de Deus’”. -Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 90(91)

Vós sois meu Deus, no qual confio inteiramente.

  1. Quem habita ao abrigo do Altíssimo / e vive à sombra do Senhor onipotente / diz ao Senhor: “Sois meu refúgio e proteção, / sois o meu Deus, no qual confio inteiramente”. – R.
  2. Do caçador e do seu laço ele te livra. / Ele te salva da palavra que destrói. / Com suas asas haverá de proteger-te, / com seu escudo e suas armas, defender-te. – R.
  3. “Porque a mim se confiou, hei de livrá-lo / e protegê-lo, pois meu nome ele conhece. / Ao invocar-me, hei de ouvi-lo e atendê-lo, / e a seu lado eu estarei em suas dores”. – R.
Evangelho: Mateus 9,18-26

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Enquanto Jesus estava falando, um chefe aproximou-se, inclinou-se profundamente diante dele e disse: “Minha filha acaba de morrer. Mas vem, impõe tua mão sobre ela, e ela viverá”. Jesus levantou-se e o seguiu, junto com os seus discípulos. Nisto, uma mulher que sofria de hemorragia há doze anos veio por trás dele e tocou a barra do seu manto. Ela pensava consigo: “Se eu conseguir ao menos tocar no manto dele, ficarei curada”. Jesus voltou-se e, ao vê-la, disse: “Coragem, filha! A tua fé te salvou”. E a mulher ficou curada a partir daquele instante. Chegando à casa do chefe, Jesus viu os tocadores de flauta e a multidão alvoroçada e disse: “Retirai-vos, porque a menina não morreu, mas está dormindo”. E começaram a caçoar dele. Quando a multidão foi afastada, Jesus entrou, tomou a menina pela mão e ela se levantou. Essa notícia espalhou-se por toda aquela região. – Palavra da salvação.

 

Reflexão:

O relato de um milagre se encaixa no relato de outro. O primeiro, a cura de uma doença grave; o outro, a restituição da vida a uma menina morta. Em ambos os casos, duas atitudes são decisivas: a fé que pede e espera, e o toque físico de Jesus. Como em outras ocasiões, Jesus não se move com base em preconceitos: deixa-se tocar pela mulher considerada impura porque sofria de hemorragia. Depois toma a pequena defunta pela mão e a faz levantar-se. Tocar em defunto também era ação proibida pelas tradições antigas. Aquele que é a Vida e devolve a vida não pode contaminar-se tocando um cadáver. Onde Jesus está presente, podem-se dispensar os “flautistas e a multidão em alvoroço”, que celebram a morte: “Eu sou a ressurreição. Quem acredita em mim, ainda que morra, viverá” (Jo 11,25).




Comentários


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *