Search
sexta-feira 5 março 2021
  • :
  • :

11º Domingo do Tempo Comum

Primeira Leitura: Êxodo 19,2-6

Leitura do livro do Êxodo – Naqueles dias, os israelitas, partindo de Rafidim, chegaram ao deserto do Sinai, onde acamparam. Israel armou aí suas tendas, defronte da montanha. Moisés, então, subiu ao encontro de Deus. O Senhor chamou-o do alto da montanha e disse: “Assim deverás falar à casa de Jacó e anunciar aos filhos de Israel: Vistes o que fiz aos egípcios e como vos levei sobre asas de águia e vos trouxe a mim. Portanto, se ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, sereis para mim a porção escolhida dentre todos os povos, porque minha é toda a terra. E vós sereis para mim um reino de sacerdotes e uma nação santa”. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 99(100)

Nós somos o povo e o rebanho do Senhor.

1. Aclamai o Senhor, ó terra inteira, † servi ao Senhor com alegria, / ide a ele, cantando jubilosos! – R.

2. Sabei que o Senhor, só ele, é Deus, † ele mesmo nos fez, e somos seus, / nós somos seu povo e seu rebanho. – R.

3. Sim, é bom o Senhor e nosso Deus, † sua bondade perdura para sempre, / seu amor é fiel eternamente! – R.

Segunda Leitura: Romanos 5,6-11

Leitura da carta de são Paulo aos Romanos – Irmãos, quando éramos ainda fracos, Cristo morreu pelos ímpios, no tempo marcado. Dificilmente alguém morrerá por um justo; por uma pessoa muito boa, talvez alguém se anime a morrer. Pois bem, a prova de que Deus nos ama é que Cristo morreu por nós quando éramos ainda pecadores. Muito mais agora, que já estamos justificados pelo sangue de Cristo, seremos salvos da ira por ele. Quando éramos inimigos de Deus, fomos reconciliados com ele pela morte do seu Filho; quanto mais agora, estando já reconciliados, seremos salvos por sua vida! Ainda mais, nós nos gloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo. É por ele que, já desde o tempo presente, recebemos a reconciliação. – Palavra do Senhor.

Evangelho: Mateus 9,36-10,8

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, vendo Jesus as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam cansadas e abatidas como ovelhas que não têm pastor. Então disse a seus discípulos: “A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. Pedi, pois, ao dono da messe que envie trabalhadores para a sua colheita!”

Jesus chamou os doze discípulos e deu-lhes poder para expulsarem os espíritos maus e para curarem todo tipo de doença e enfermidade. Estes são os nomes dos doze apóstolos: primeiro, Simão, chamado Pedro, e André, seu irmão; Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João; Filipe e Bartolomeu; Tomé e Mateus, o cobrador de impostos; Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu; Simão, o zelota, e Judas Iscariotes, que foi o traidor de Jesus. Jesus enviou esses doze com as seguintes recomendações: “Não deveis ir aonde moram os pagãos nem entrar nas cidades dos samaritanos! Ide, antes, às ovelhas perdidas da casa de Israel! Em vosso caminho, anunciai: ‘O reino dos céus está próximo’. Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. De graça recebestes, de graça deveis dar!” – Palavra da salvação.

Reflexão:

Vendo as multidões abandonadas e angustiadas, Jesus se enche de compaixão (sofre com elas), ressalta a necessidade de haver mais servidores e, por isso, chama alguns que o auxiliem na missão, os apóstolos. Estes devem acompanhar o Mestre e aprender com ele, para que, quando o Mestre já não estiver no meio deles, deem continuidade à obra libertadora. Iniciada por Jesus, ela não pode ser interrompida. Principalmente as Igrejas são responsáveis por anunciar o Reino dos Céus, que exige dignidade para todas as pessoas. As Igrejas devem ser a sentinela que alerta as autoridades competentes para libertar os cidadãos dos males que os afligem. O fiel seguidor de Jesus não pode ficar indiferente à dor do irmão e da irmã que encontra ao longo do dia. O cristão é convidado a se compadecer diante da miséria, que provoca tantos males. Os enviados por Jesus recebem a “autoridade” para fazer o bem, expulsando os espíritos que atormentam as pessoas.




Comentários


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *