Search
sexta-feira 18 agosto 2017
  • :
  • :

Vítimas de abusos precisam de mais atenção, reitera órgão vaticano

Encontrar novas formas para dar mais voz às vítimas de pedofilia. Esse é o empenho assumido pela Pontifícia Comissão para a Proteção dos Menores ao término da oitava plenária do organismo neste domingo, 26.

Em comunicado, a comissão agradeceu o trabalho de Marie Collins – que recentemente deixou a comissão – pelo seu empenho contra a pedofilia e deseja que, quando uma vítima de abuso escreva à Santa Sé, possa receber rapidamente uma resposta, em sinal de transparência.

A saída de Marie Collins foi um dos temas centrais da reunião. A irlandesa sofreu abusos sexuais por parte de religiosos quando criança e representava as vítimas na comissão. Na carta de demissão enviada ao Papa Francisco, ela manifestou frustração pela falta de colaboração de alguns membros da Cúria Romana.

No comunicado após a reunião desse fim de semana, a Pontifícia Comissão agradeceu pela participação de Marie e manifestou apoio pelo seu trabalho em favor das vítimas dos abusos e para a prevenção de todo tipo de abuso contra os menores. Os membros da comissão também agradeceram Marie Collins por sua disponibilidade de continuar o trabalho nos programas de educação para os novos bispos e escritórios da Cúria Romana.

“A Comissão concordou de modo unânime em encontrar novas vias para assegurar que seu trabalho seja modelado com e pelas vítimas de abusos”, informa o comunicado. Muitas ideias foram implementadas e estão sendo atentamente consideradas para serem levadas ao Santo Padre.

A resposta às vítimas quando escrevem à Santa Sé também foi um ponto importante na reunião. Os membros concordaram sobre a necessidade de dar respostas rápidas e pessoais, como forma de avançar na transparência. A comissão reconhece que esse é um trabalho que requer esforço, tendo em vista o volume e a natureza da correspondência e requer recursos e procedimentos claros e específicos.

Trabalho com a Doutrina da Fé

A comissão para a proteção dos menores continua a trabalhar encorajada pelo Papa Francisco para assistir as igrejas locais em sua responsabilidade pela proteção dos menores, através de visitas in loco e conferências. Representantes das conferências episcopais já estão sendo recebidos pela comissão quando vão a Roma para encontrar-se com o Santo Padre.

O comunicado reitera também que um elemento essencial para a luta contra os abusos na Igreja são as linhas-guia da pontifícia comissão. Há ainda o desejo de trabalhar junto à Congregação para a Doutrina da Fé em comunicar essas orientações às conferências episcopais e congregações religiosas seja diretamente seja pelo site da comissão. (www.protectionofminors.va).

A Pontifícia Comissão para a Proteção dos Menores foi instituída pelo Papa Francisco em 2014. O grupo reúne especialistas, em grande parte psicólogos, para combater a pedofilia.

Por Canção Nova, com Rádio Vaticano em italiano




Comentários


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *