Search
domingo 19 novembro 2017
  • :
  • :

Sábado da 31ª Semana do Tempo Comum

1ª Leitura – Rm 16,3-9.16.22-27

Saudai-vos uns aos outros com o beijo santo. 

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos 16,3-9.16.22-27

Irmãos: 
3 Saudai Prisca e Áquila, 
colaboradores meus em Cristo Jesus, 
4 os quais expuseram a sua própria vida para salvar a minha. 
Por isso, eu lhes sou agradecido; 
não somente eu, mas também todas as igrejas do mundo pagão. 
5 Saudai igualmente a igreja que se reúne na casa deles. 
Saudai meu muito estimado Epêneto, 
que faz parte dos primeiros frutos da Ásia para Cristo. 
6 Saudai Maria, que trabalhou muito em proveito vosso. 
7 Saudai Andrônico e Júnias, 
meus parentes e companheiros de prisão, 
apóstolos notáveis 
e que se tornaram discípulos de Cristo antes de mim. 
8 Saudai Ampliato, a quem estimo muito no Senhor. 
9 Saudai Urbano, nosso colaborador em Cristo, 
e a meu caríssimo Estáquis. 
16 Saudai-vos uns aos outros com o beijo santo. 
Todas as igrejas de Cristo vos saúdam. 
22 Saúdo-vos eu Tércio, que escrevo esta epístola no Senhor. 
23 Saúda-vos Caio, meu hóspede e de toda a Igreja. 
24 Saúda-vos Erasto, tesoureiro da cidade, e o irmão Quarto. 
25 Glória seja dada 
àquele que tem o poder de vos confirmar 
na fidelidade ao meu evangelho 
e à pregação de Jesus Cristo, 
de acordo com a revelação do mistério 
mantido em sigilo desde sempre. 
26 Agora este mistério foi manifestado 
e, mediante as Escrituras proféticas, 
conforme determinação do Deus eterno, 
foi levado ao conhecimento de todas as nações, 
para trazê-las à obediência da fé. 
27 A ele, o único Deus, o sábio, 
por meio de Jesus Cristo, 
a glória, pelos séculos dos séculos. Amém! 
Palavra do Senhor. 

Salmo – Sl 144 (145),2-3. 4-5. 10-11 (R. Cf. 1b)

R. Bendirei o vosso nome pelos séculos, Senhor! 

2 Todos os dias haverei de bendizer-vos, * 
hei de louvar o vosso nome para sempre. 
3 Grande é o Senhor e muito digno de louvores, * 
e ninguém pode medir sua grandeza. R.

4 Uma idade conta à outra vossas obras * 
e publica os vossos feitos poderosos; 
5 proclamam todos o esplendor de vossa glória * 
e divulgam vossas obras portentosas! R.

10 Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem, * 
e os vossos santos com louvores vos bendigam! 
11 Narrem a glória e o esplendor do vosso reino * 
e saibam proclamar vosso poder! R. 

Evangelho – Lc 16,9-15

Por isso, se vós não sois fiéis no uso do dinheiro injusto, quem vos confiará o verdadeiro bem?

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 16,9-15

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 
9 Usai o dinheiro injusto para fazer amigos, 
pois, quando acabar, eles vos receberão nas moradas eternas. 
10 Quem é fiel nas pequenas coisas 
também é fiel nas grandes, 
e quem é injusto nas pequenas 
também é injusto nas grandes. 
11 Por isso, se vós não sois fiéis 
no uso do dinheiro injusto, 
quem vos confiará o verdadeiro bem? 
12 E se não sois fiéis no que é dos outros, 
quem vos dará aquilo que é vosso? 
13 Ninguém pode servir a dois senhores. 
porque ou odiará um e amará o outro, 
ou se apegará a um e desprezará o outro. 
Vós não podeis servir a Deus e ao dinheiro.’ 
14 Os fariseus, que eram amigos do dinheiro, 
ouviam tudo isso e riam de Jesus. 
15 Então, Jesus lhes disse: 
‘Vós gostais de parecer justos diante dos homens, 
mas Deus conhece vossos corações. 
Com efeito, o que é importante para os homens, 
é detestável para Deus.’ 
Palavra da Salvação. 

Reflexão – Lc 16, 9-15

Devemos usar do dinheiro da injustiça para conquistar os bens eternos. De fato, o dinheiro é sempre uma realidade injusta, independentemente da forma como foi conquistado, porque vai sempre significar separação, apossamento, divisões e condições de vida diferentes, gerando oportunidades diferentes e privilégios, além de uma concorrência sempre injusta com os nossos irmãos e irmãs. Por isso, Jesus diz que ninguém pode servir a Deus e ao dinheiro. Usar do dinheiro da injustiça para conquistar os bens eternos significa usar de tudo o que o dinheiro nos concede, tanto em termos de bens materiais como pessoais, como por exemplo a formação profissional, para a construção do Reino e a promoção da dignidade de todos.

Fonte: CNBB 




Comentários


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *