Search
domingo 20 agosto 2017
  • :
  • :

Papa Francisco recebe “O trem das crianças” no Vaticano

O Papa Francisco encontrará no sábado, 3 de junho, 400 crianças das áreas do centro da Itália atingidas por terremotos.

O evento faz parte da quinta edição da iniciativa “O trem das crianças” promovida pelo ‘Pátio dos Gentios’ do Pontifício Conselho para a Cultura em colaboração com a Ferrovia italiana a fim de presentear as crianças desfavorecidas um dia especial. 

As crianças provenientes de Norcia, Accumoli, Amatrice e Arquata del Tronto chegarão, ao Vaticano, a bordo do trem Frecciarossa 1000 de Trenitalia, para encontrar o Papa Francisco.

Sensibilidade
 
As crianças serão acolhidas pela associação “Esporte sem fronteiras” e pela Orquestra Maré do Amanhã do Rio de Janeiro. Durante o encontro será doado ao Papa Francisco o livro “Nós nesta terra que dança… a propósito de terremotos” que aborda o tema do sismo com uma linguagem infantil. 

“O evento é centralizado na figura da criança que tem a sensibilidade extraordinária de conseguir viver e elaborar mais que os adultos as experiências trágicas. Elas podem ensinar muito aos próprios adultos”, disse o Presidente do Pontifício Conselho para a Cultura, Cardeal Gianfranco Ravasi. 

Compromisso

“Sobre o terremoto foi falado tudo. Existe o compromisso da Política e da sociedade, talvez agora seja preciso começar a considerar os fenômenos naturais como componentes existenciais e não como acidentes externos”, sublinhou ainda o purpurado, evidenciando que “não é verdade que as catástrofes sejam inevitáveis. Em muitos casos podem ser superadas através da ciência e do conhecimento”, acrescentou.
 
Segundo o Cardeal Ravasi, “a presença do Papa, que aceitou com entusiasmo e se diverte muito com as crianças, é importante para levar o discurso a temas elevados”. “Essa iniciativa é uma injeção de esperança e uma cutucada nos adultos a fim de que aprendam que não é importante somente curar as feridas, mas é necessário criar, também através do jogo, os símbolos, a abertura de horizontes e a esperança que é estrutural para a criança”. 

Base cultural

Para Demetrio Egidi, autor do livro junto com Emilio Rebecchi e Jaia Pasquini, “o objetivo é criar uma base cultural de forma cativante, não pretenciosa, mas fluida e compreensível porque, no caso de terremotos, se a pessoa consegue controlar o pânico é possível fazer um passo cultural importante”.

“É preciso criar uma cultura científica para ter comportamentos virtuosos. É fundamental alimentar a cultura da prevenção, mesmo que seja difícil, a fim de construir também um percurso virtuoso entre público e privado, onde é possível obter cooperação”, disse Pierluigi Stefanini, presidente do Grupo Unipol, grupo financeiro italiano, que contribuiu na realização do livro que será distribuído gratuitamente para as crianças.

Por Rádio Vaticano




Comentários


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *