Search
segunda-feira 19 novembro 2018
  • :
  • :

Irmãs budistas e cristãs em diálogo: “A nossa língua é o amor”

Concluiu-se em Taiwan no mosteiro de Fao Guang Shan em Kaohsiung, o primeiro Diálogo Internacional Budista-Cristão para irmãs, promovido pelo Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso em colaboração com o mosteiro budista Fo Guang Shan, a Associação das Superioras maiores das religiosas de Taiwan e o Diálogo Inter-religioso monástico com o tema: “Ação contemplativa e contemplação ativa: irmãs budistas e cristãs em diálogo”. O evento contou com a participação de 70 irmãs provenientes de Taiwan, Coreia, Japão, Índia, Sri Lanka, Myanmar, Tailândia, Singapura, Hong Kong, Camboja, Filipinas, Brasil, Itália, Alemanha, Noruega e Estados Unidos.

Os temas principais

No encontro foram discutidos os principais temas do diálogo: origem, evolução e situação atual da vida religiosa monástica para mulheres no budismo e no cristianismo, a meditação budista e a contemplação cristã; o serviço à humildade e “o gênio feminino” das religiosas.

Houve muita participação nos debates em assembleia e nos grupos assim como a participação nos cantos budistas e os ligados à liturgia católica. As irmãs participaram das visitas ao Fo Guang Shan Tsung College, ao Museu Budista e à Basílica da Imaculada Conceição de Wanchin.

Construir pontes para conectar percursos espirituais

No final da Conferência, os participantes redigiram uma Declaração na qual reconhecem que este Primeiro Diálogo Internacional para as irmãs budistas e cristãs foi um ponto de referência para promover a compreensão recíproca e a amizade entre as religiosas e para construir pontes que conectem seus vários percursos espirituais. As irmãs reconhecem que, mesmo permanecendo firmes em suas respectivas convicções mais profundas, pode-se aprender uns dos outros, para o enriquecimento espiritual, cultural e social, tornando-se assim humildes e acreditáveis para seus irmãos e irmãs.

Diálogo Inter-religioso, um caminho a ser feito juntos

Na Declaração as irmãs escrevem: “Acreditamos que o nosso testemunho de um estilo de vida pode ser significativo e alegre através de um afastamento do consumismo, do materialismo e do individualismo, e que pode encorajar outros a seguirem para o caminho do bem”. Além disso, as contemplativas evidenciam a importância da ternura e da esperança a ser levada para os que necessitam. As irmãs reafirmam que “acreditam no diálogo inter-religioso pois é um caminho que todos devem tomar juntos. Portanto encorajamos as religiosas para contribuírem com seu ‘gênio feminino’ para realização de novos e criativos modos de diálogo entre as religiões e à abertura das próprias comunidades para que possa chegar esta contribuição”.

Caminhar juntos para o enriquecimento recíproco e o bem do mundo

As irmãs sentem a necessidade de apoiar estudantes, professores, pais e serem portadoras de paz e harmonia para convidar a humanidade a seguir para o caminho do respeito pelo meio-ambiente e da não-violência. “Reconhecemos que o amor é a nossa língua comum” e que “nos convida a ir além de nós mesmos e a abraçar o outro, apesar das diferenças que existem entre nós”. No final da Declaração as religiosas escrevem: “Quando unimos os corações e mentes, enquanto percorremos os nossos respectivos caminhos espirituais, nos sentimos mais próximos uns dos outros e vemos a necessidade de continuar este enriquecimento comum para melhoramento do mundo”.

Os agradecimentos para o sucesso da Conferência

Os participantes exprimem sua gratidão aos organizadores por terem criado um ambiente agradável, pela hospitalidade e a amizade que caracterizaram este diálogo. Agradecem também as autoridades civis, o mosteiro budista Fo Guang Shan, a Igreja católica local e a Universidade das ursulinas de Wenzao pelo seu generoso apoio para que o Primeiro Diálogo Internacional Budista-Cristão de religiosas fosse um sucesso.

Via Vatican News




Comentários


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *