Search
segunda-feira 25 setembro 2017
  • :
  • :

Em sintonia com Ano Mariano, comissão lança subsídio para Semana da Vida

A Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) apresentou o subsídio “Hora da Vida”, preparado para a Semana Nacional da Vida e o Dia do Nascituro, que ocorrem de 1º a 7 de outubro e no dia 8 de outubro, respectivamente. No contexto das celebrações dos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida no rio Paraíba do Sul e do Ano Mariano, instituído pela CNBB, o tema escolhido para esta edição é “Bendito é o fruto do teu ventre” (Lc 1,42).

Para o bispo de Osasco (SP) e presidente da Comissão para a Vida e a Família da CNBB, dom João Bosco Barbosa de Sousa, a frase dita por Isabel a Maria serve para “nos orientar e dar muita importância àquele fruto que está no ventre das mães, que é o nascituro, que é a esperança, a vida que nasce, o dom de Deus”.

Durante a Semana Nacional da Vida, oficializada pela CNBB em âmbito nacional no ano de 2005, a Igreja no Brasil passará por um momento de evangelização e de compreensão da dignidade da vida. O subsídio “Hora da Vida” tem como objetivo ajudar comunidades e famílias a se organizarem e viverem bem esta semana.

“A Semana da Vida e o Dia do Nascituro é essa oportunidade de nós enquanto agentes de Pastoral Familiar fazermos frente àquilo que é contra a vida, nocivo à vida. Mais uma vez estaremos unidos em oração neste mês de outubro para defendermos a vida e refletirmos a beleza de ser mãe e pai, que dão a vida para aqueles filhos que nascem e cuidam dos filhos. Então, a Igreja com essa celebração e as reflexões propostas quer ajudar a todas as famílias a defenderem esse grande e importantíssimo dom que Deus nos deu, que é a vida”, reflete o assessor da Comissão para a Vida e a Família da CNBB, padre Jorge Alves Filho.

Ele explica que os sete encontros do livreto estão ligados desde a anunciação do anjo que Maria seria a mãe do menino até a vida de Jesus enquanto criança. O material – preparado pela Comissão Nacional da Pastoral Familiar (CNPF) em parceria com o Movimento Brasil Sem Aborto e o grupo Promotores da Vida – ainda conta com propostas de Celebração da Vida para o Dia do Nascituro e de bênção para o momento do parto. “Em cada encontro temos a oportunidade de recordar a história de Jesus e também de sua mãe, que protagonizou a bela atitude de acolher uma vida que teria a missão de salvar as vidas”, conta padre Jorge Filho.

Defesa da vida
Missão exigente da Igreja nos últimos anos, a defesa da vida desde sua concepção ao seu declínio natural é a principal motivação para a Semana Nacional da Vida. “Nós como Igreja, como agentes de pastoral, precisamos ajudar para que a palavra do Cristo ‘Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em plenitude’ seja realmente uma palavra que seja respeitada no mundo. Por isso, nós reafirmamos o valor da vida, a nossa luta contra o aborto de inocentes, e reafirmamos a nossa pertença a essa Igreja que luta pela vida”, sustenta o assessor.

Ressaltando a relação amorosa de Deus para com a criação presente no mistério da encarnação, dom João Bosco Barbosa destaca o dever e a responsabilidade de respeitar e promover a vida plena. “O Deus da vida se faz presente onde a vida se mostra mais frágil: no nascituro, no adolescente, no abandonado e no perseguido, no migrante, no enfermo, no idoso. Nestes tempos em que a vida familiar tem sido tão agredida, cabe-nos buscar na fonte e levar a todos os homens e mulheres a certeza de que vale a pena cultivar esse dom”, afirma o bispo.

A Semana Nacional da Vida parte da dinâmica de defesa da vida e é celebrada oficialmente desde 2005 quando foi oficializada pela CNBB. Antes disso, porém, desde a década de 1980 aconteciam iniciativas, como campanhas, aprofundamentos, encontros e cursos relacionados à temática.

O subsídio Hora da Vida está disponível no endereço lojacnpf.org.br. Encomendas podem ser feitas no mesmo endereço, pelo telefone (61) 3443-2900 ou ainda pelo e-mail [email protected] O material também é distribuído pelos casais coordenadores e agentes da Pastoral Familiar nos regionais e dioceses.

Por CNBB




Comentários


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *