Search
sexta-feira 17 agosto 2018
  • :
  • :

Cáritas Brasileira forma 422 agentes de desenvolvimento em todo o país

Um grupo de 422 pessoas, entre lideranças sociais e comunitárias de todo o Brasil concluirá em julho deste ano o curso de formação a distância “Pastoralidade, Cultura da Solidariedade e Bem Viver” oferecido pela Cáritas Brasileira desde outubro de 2017. A formação, composta por dois módulos, tem o objetivo de qualificar a atuação dos gestores, assessores e agentes da Cáritas na construção do desenvolvimento solidário sustentável e territorial, em conjunto com os grupos de base.

Como resultado do primeiro módulo, cuja duração foi de outubro de 2017 a fevereiro deste ano, o coordenador geral do curso Leon Patrick informa que foi produzido um conjunto de 150 textos, entre artigos e outros formatos, sobre os temas geradores e também sobre áreas específicas. “As pessoas precisam de elementos teóricos e formativos que as ajudem a olhar para suas experiências e fazer uma leitura crítica e construtiva que aponte novos horizontes”, avaliou Leon.

O membro da diretoria-executiva nacional da Cáritas Brasileira Luiz Cláudio Mandela ressalta que a produção dos alunos resultou num acúmulo muito grande que ajudará não apenas a Cáritas mas também o conjunto das organizações, movimentos e as próprias comunidades a fortalecer a sua ação a partir da elaboração desenvolvida.

Um dos participantes do curso é o Carlos César de Oliveira, mestrando do curso de Educação, Processos Formativos e Desigualdades Sociais da Faculdade de Formação de Professores da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). O cearense que há 12 anos mora no Rio de Janeiro atua no campo da educação e na da Pastoral da Juventude do Meio Popular (PJMP).

Além da metodologia diferenciada, que propicia a interação e a reflexão sobre a ação pastoral, ele destaca que os educadores e facilitadores e a equipe pedagógica da Cáritas procuram estabelecer um diálogo direto e problematizador acerca das questões propostas, contribuindo, assim, para ampliar conceitos e repensar a prática a partir do binômio fé e vida.

O coordenador do curso destaca que um dos grandes desafios, em se tratando de uma proposta de educação à distância, é o do acesso à tecnologia. “Muitos ainda não tem acesso adequado à internet e não conseguem dedicar tempo porque nos cursos de formação à distância cada um precisa criar um caminho de estudo pessoal”, avaliou.

Temas geradores e específicos – Os temas geradores do curso são Pastoralidade e Transformação Social, Cultura da Solidariedade e Bem Viver, Sustentabilidade e Projeto Societário. Estes são conteúdos obrigatórios do curso com abordagem de 30 horas aula. O curso está abordando ainda os seguintes temas específicos: Convivência com os biomas; Economia Popular Solidária; Infância, adolescência e juventudes; Migração e refúgio; e Mudanças climáticas e gestão de riscos. Cada um destes temas se desdobra em 20 horas aula. O participante pode escolher os temas específicos que deseja cursar.

O programa tem jornada máxima de 180 horas de capacitação e garante ainda a possibilidade de que cada pessoa organize seu próprio percurso formativo, com a exigência de inscrição em pelo menos um tema específico, totalizando assim 80 horas mínimas de formação à distância.

A formação temática dos assessores técnicos e agentes voluntários é realizada na modalidade semi-presencial, por meio de encontros e cursos relacionados às áreas prioritárias de atuação da Rede Cáritas para o biênio 2017-2018. A parte presencial está sendo realizada por meio de encontros semestrais dos/as participantes em âmbito regional, com contribuição de especialistas nas temáticas.

 

Por CNBB




Comentários


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *